SAIA DO SOL E DA CHUVA, ENTRE...

A morada é simples, é sertaneja, mas tem alimento para o espírito, amizade e afeto.



terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Palavra Solta - janela da frente e janela de trás



*Rangel Alves da Costa


Simbolizando passado e presente, ou o antigo e o novo, estão a janela da frente e a janela de trás, depois da sala e após a cozinha. Pela janela da frente vê-se a mocinha passando com roupa, num rebolado só, querendo se mostrar mais aos outros do que a seu próprio destino. Pela janela de trás avista-se a mocinha recatada, de vestida após os joelhos, cabelos em traça, parecendo uma singela flor. Pela janela da frente vê-se a motocicleta passando desenfreada, o carro em alta velocidade, o barulho e o medo. Pela janela de trás avista-se o carro-de-bois passando com seu rangido lento, o animal de carga levando frutas, uma carroça sem tempo de chegar e alguém montado em um alazão. Pela janela da frente vê-se a pessoa apressada, carrancuda, com cara de poucos amigos, sem um bom dia ou boa tarde. Pela janela de trás avista-se a pessoa passando sorridente, com gestos cordiais e cumprimentos de passo a passo, sem pressa de chegar nem de esquecer que avista na caminhada. Pela janela da frente vê-se o mundo imenso e desconhecido, a vida corrida e tudo de todos e de ninguém, rostos desconhecidos e pessoas que nunca se conhecem. Pela janela de trás avista-se a paisagem bela, o canteiro florido, o velho sentado num banco de praça. Mas de repente alguém vai e fecha a janela de trás. E na frente também já não há mais janela. Tudo perigosamente exposto ao mundo.


Escritor
blograngel-sertao.blogspot.com

Um comentário:

Washington Santiago disse...

Por fim, o observador se torna observado. O passivo ator se torna personagem ativo no filme da vida, e expõe suas características. Em qual janela ele será retratado?